Atendimento Nacional (11) 3133.5766

Qual a diferença de eficácia e efetividade para a vacina contra COVID-19?

No início de fevereiro de 2021, o Governo do Estado de São Paulo anunciou que irá realizar a vacinação em massa da cidade de Serrana, interior do estado, para medir a efetividade da CoronaVac. Esta notícia gerou uma série de dúvidas na população e até a disseminação de fake news questionando o uso de vacinas no combate a COVID-19.

Clique aqui para saber mais sobre a CoronaVac do Instituto Butantan

Mas se a vacina já havia sido testada, aprovada (provisoriamente) pela ANVISA, por que só agora vai ser testada a efetividade? Este post tem como objetivo elucidar esses questionamentos.

 

Como funciona o processo de teste de uma vacina?

Para fazer o teste de uma vacina, é selecionado um grupo de pessoas, uma amostra do que se tem na sociedade como um todo. No caso da CoronaVac, foram 13 mil pessoas adultas com menos de 60 anos, que residem no Brasil. Parte desse grupo toma a vacina e parte toma placebo (preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos).

Da parte do grupo que tomou a vacina, é constatada a taxa de eficácia do antídoto, isto é, a quantidade de pessoas em que a vacina surtiu efeitos.

E só podemos alegar a efetividade desta vacina no momento em que for aplicada no restante da sociedade.

 

Para a vacina ter EFICÁCIA:

Ela precisa ter sido testada em uma parcela da sociedade, em ambiente controlado e atingir o efeito satisfatório.

 

Para uma vacina ter EFETIVIDADE:

Ela precisa ter atingido o objetivo esperado após ser aplicada em massa no grupo de interesse, fora dos laboratórios e do ambiente controlado.

 

Quer dizer que a vacina ainda não foi aprovada?

A aprovação de uma vacina se faz através da taxa de eficácia. A CoronaVac foi aprovada pela ANVISA para uso emergencial e está apta para uso de toda população brasileira adulta.

 

Sem a comprovação da efetividade não tem como saber se a vacina é segura?

Tem sim. A partir da fase 3 dos testes já é possível constatar se a vacina é segura ou não, pois é nesta fase que se descobre a eficácia e os possíveis efeitos adversos. Por isso, se a vacina foi aprovada depois da fase 3 ela é uma vacina segura.

 Sendo assim, qualquer vacina para conseguir a efetividade precisa ser aplicada fora de laboratório, não só a CoronaVac.

 

Informe seus parentes e amigos sobre isso, incentive a vacinação. Apenas com a vacinação em massa da população é que poderemos flexibilizar o distanciamento social.

Siga as orientações dos profissionais de saúde e mantenha-se informado. Juntos somos mais fortes na superação da pandemia da COVID-19.

 

Fontes: CNN e Veja

Qual a diferença de eficácia e efetividade para a vacina contra COVID-19?