Atendimento Nacional (11) 3133.5766

Descarte consciente: os benefícios por trás do descarte correto de luvas de segurança

Vamos falar sobre um tema que gera muitas dúvidas e que quase sempre se torna uma pedra no sapato de quem trabalha na área de saúde e segurança do trabalho.

Os EPIs, são essenciais e obrigatórios para os colaboradores, garantindo sempre a segurança nas atividades diárias. Depois de utilizados, as empresas devem realizar o descarte correto com a mesma obrigação de quando entregam os EPIs adequados para a atividades.

Assim como somos autuados e notificados quando não entregamos os EPI para os colaboradores, podemos ser também autuados e notificados se não realizarmos o descarte correto.

Por isso devemos ter o conhecimento de como fazer um descarte adequado e consciente dos EPIs. Aplicando as normativas e a legislação vigente em cada região, colaboramos não só com a saúde e segurança de nossos trabalhadores, mas também com o meio ambiente!

Quer saber mais? Continue com a gente e se aprofunde no assunto.

 

COMO DESCARTAR CORRETAMENTE OS EPIS USADOS?

Depende! Temos vários tipos e modelos de EPIs além de diversas atividades a serem levadas em consideração, por isso, precisamos saber qual risco foi agregado aquele EPI, saber quais os contaminantes que o equipamento foi submetido para realizar o procedimento de descarte correto.

Para exemplificar, se um colaborador executa atividades com aquele EPI em ambientes com exposição a produtos químicos, este EPI tem um risco agregado e deve ser descartado separadamente dos demais EPIs que não estejam contaminados, indicando que se trata de um material com potencial de contaminação. Para estes materiais contaminados devemos ter as opções de aterro ou incineração.

Quando não contaminados, os EPIs podem ser descartados em lixo comum ou em uma coleta seletiva, destinados a reciclagem de acordo com cada tipo de matéria prima na composição do equipamento.

Estas diretivas vêm das legislações estaduais e municipais e da classificação dos resíduos como;

  • Classe I, são considerados perigosos, pelo fato da contaminação durante o uso, e;
  • Classe II, não perigosos, e podem ser descartados em lixo comum ou separados de acordo com o material para a reciclagem.

Uma luva de segurança pode ser descartada normalmente. Porém, uma luva de um colaborador que realizou atividades em ambientes de produtos químicos ou radioativos terá um procedimento de descarte específico para aquele contaminante. E temos que lembrar por exemplo que este químico pode ser o óleo protetivo de uma chapa, mesmo que o material não esteja encharcado, ele está contaminado.

É muito importante as empresas tenham conhecimento da forma correta do descarte de EPIs usados para prevenir contaminações e evitar medidas administrativas como multas e processos judiciais, e obviamente contribuir com o meio ambiente e evitar que novamente venha ter a utilização daquele equipamento de segurança individual.

 

CONSUMO CONSCIENTE

Já que estamos falando de descarte correto, o que impacta diretamente em nosso meio ambiente, vamos falar um pouco mais e abrir um pequeno adendo a este tema.

Afinal o que é isso? Usar apenas quando preciso? Usar apenas o que preciso? Consumir apenas de empresas com selo verde ou produtos confeccionados de fontes renováveis?

Todas estas questões estão certas, mas nem sempre é fácil aliar o nível de proteção necessária à verba disponível, afinal segurança não tem preço, mas tem custo, ao ecologicamente correto. Mas dentro deste raciocínio queremos te dar duas dicas:

  • Foque na durabilidade e qualidade – ao escolher EPIs ou qualquer outro tipo de equipamento industrial, fuja do modelo de pensamento: compre o mais barato!

EPIs de baixa qualidade duram pouco, exigem uma troca frequente e por consequência maior geração de resíduos, que você também irá pagar para descartá-los.

Procure equipamentos com maior vida útil e que suportem higienizações, isso vai te fazer gastar menos no final das constas, pois vai resultar em melhor relação custo & benefício, ajudando a gerar menor descarte. O meio ambiente agradece!

  • Check list para troca do EPI – em qual momento ou em que condições seu colaborador efetua a troca dos EPIs?

Parece algo simples, mas é muito comum ver erros grosseiros para os dois lados desta balança, EPIs sendo descartados em boas condições de uso, por falta de controle, instrução, supervisão ou sujidade superficial e colaboradores com luvas já bem gastas e com furos, se expondo as consequências de um acidente, por exemplo.

Fazer um check list simples, de preferência exemplificando com fotos os pontos passiveis para troca do EPI, vão te ajudar a melhorar a vida útil e reduzir o volume de descarte!

 

BENEFÍCIOS DO DESCARTE CORRETO DE LUVAS

Para a maioria das empresas, a proteção das mãos é o maior volume de consumo quando falamos em EPIs, e não é por acaso, a cada movimento ou manipulação de uma peça, lá está a luva nos protegendo e por consequência se desgastando.

Se acertar na forma de consumo e desenhar a melhor forma de descarte, sempre levando em consideração a matéria prima do seu EPI e se ele no momento de descarte se enquadra como classe I ou II, você vai ter uma vida mais tranquila na gestão de resíduos.

Temos que proteger o meio ambiente e as empresas, isso significa evitar multas, notificações e apontamentos em auditorias e garantir um futuro melhor para as próximas gerações. Acho que é sempre isso que queremos, não é?!

 

Esperamos que este texto tenha ajudado! Continue nos acompanhando para mais conteúdos como este.

 

Até mais!

 

Fonte: Prometal EPIs

Descarte consciente: os benefícios por trás do descarte correto de luvas de segurança