Atendimento Nacional (11) 3133.5766
talabarte vs trava-quedas - você sabe qual utilizar?

Talabartes ou Trava-Quedas – Qual utilizar?

Quando falamos sobre trabalho em altura logo pensamos em um cinturão de segurança, mas temos outros componentes de grande importância que devem ser levados em consideração, como no caso do elemento de conexão, que pode ser um talabarte ou trava quedas.

Talabarte e trava quedas são dispositivos essenciais para retenção e proteção contra as quedas, mas você sabe a diferença entre eles? São considerados EPIs? Quando e qual devo utilizar?

 

O que são trava quedas e talabarte?

Trava quedas e talabarte são elementos de ligação entre o cinto de segurança do trabalhador com o ponto de ancoragem, tendo como objetivo reter a queda do usuário. O talabarte, assim como o trava quedas, não é mais um equipamento de proteção individual. Por isso, nos últimos anos você não encontra mais o CA neste produto. Desde 2015, o Ministério do Trabalho proibiu a emissão de CA para estes dispositivos. Ambos os equipamentos só podem ser utilizados em conjunto com as peças do mesmo fabricante e estar especificado no C.A do cinto de segurança.

É importante se atentar a esses pontos, pois ao utilizar os acessórios de fabricantes diferentes ou que não estejam especificados no C.A do cinto, poderá comprometer a funcionalidade e prejudicar a saúde e integridade física do usuário.

 

Quando utilizar cada um?

Quando vamos comprar um cinto de segurança é importante se atentar ao cenário onde será utilizado para atender de forma adequada e eficaz o trabalho em altura que será executado. Um dos pontos a serem observados, por exemplo, é se o local possui linha de vida. Esse ponto é fundamental para ajudar na escolha entre um trava quedas ou talabarte.

O trava quedas é utilizado quando o cenário de trabalho possui linha de vida, a grande vantagem do trava quedas é o aumento da segurança com a presença da linha de vida para diminuir a distância da queda.

No caso do talabarte, normalmente é utilizado quando o cenário não possui linha de vida, onde por conta dessa ausência (somada a outros fatores como o absorvedor de energia) a distância da queda do usuário é maior.

 

ZLQ – Zona livre de queda

A Zona Livre de Queda (ZLQ) é a distância de segurança no trabalho em altura que o usuário e os responsáveis pela atividade precisam conhecer, pois apenas o fato de estar com os equipamentos de proteção de queda (Cinto e Talabarte), talvez não seja suficiente para sua segurança.

A Zona Livre de Queda total leva em consideração o tamanho do talabarte que será usado, o quanto o ABS pode abrir na pior situação, a distância entre o ponto de ancoragem do cinto e os pés do trabalhador e a distância de segurança.

  • Comprimento do talabarte: (Vai variar de acordo com modelo e fabricante).
  • Comprimento do ABS: (Vai variar de acordo com modelo e fabricante).
  • Distância entre o pé do trabalhador e o ponto de ancoragem: (Padrão para todos os talabartes e ABS).
  • Altura de Segurança: (Padrão para todos os talabartes e ABS).

 

Vejamos um exemplo: Para um talabarte com a zona livre de queda total de 4,90m. Como chegamos nesse número?

Vamos distribuir os valores de cada um destes elementos e saber como chegamos a este valor de 4,90m. Por exemplo:

  • Comprimento Talabarte: 1.40 m
  • Absorvedor de energia aberto: 1.00 m
  • Distância do pé do trabalhador e o ponto de ancoragem do cinto: 1.50 m
  • Distância de Segurança: 1.00 m

Total: 4,90m

 

Talabarte – Principais modelos

Talabarte Simples: Utilizado em situações com o menor risco para realizar o trabalho em altura. Por esse motivo, ele é composto por apenas um ponto de ancoragem. Também utilizado como limitador de distância, em linha de vida horizontal ou ponto de ancoragem.

Talabarte Duplo: Também conhecido como talabarte de progressão e movimentação. É ideal para utilizar em estruturas como o andaime e plataforma elevatória, por exemplo, pois ele é composto por um ponto para conexão com o cinto e dois mosquetões para conexão na ancoragem. Também é utilizado para subida em escadas, de modo que o trabalhador permaneça ancorado em todo o percurso, bem como, quando há necessidade de trocar a ancoragem de uma linha de vida para outra ou de um ponto de ancoragem para outro.

Talabarte de Posicionamento: O talabarte de posicionamento não é um equipamento para a retenção de queda, e sim um sistema para posicionar o trabalhador. Por isso, fique atento! É fundamental e obrigatório que ele seja utilizado em conjunto com Talabarte de retenção contra quedas ou trava quedas, além da utilização com o cinto adequado para conexão desses equipamentos.

 

Trava-Quedas – Principais modelos:

A principal função do trava-quedas é reter a queda do trabalhador. Porém, muitos usuários e profissionais da área tem dúvida em relação ao modelo ideal para cada atividade e cenário.

Este dispositivo tem como objetivo travar o cinto de segurança e o trabalhador, evitando seu impacto com o solo. No mercado temos diversas opções, como produtos em cabo de aço, corda e até em fita sintética.

Trava-Quedas Retrátil: Ideal para atividades com movimentação vertical, horizontal (com auxílio de carro trole), em atividades com linha de vida para movimentação ou ponto de ancoragem fixo para conexão desse equipamento.

O trava quedas retrátil pode ser encontrado nas opções de cabo de aço ou fita sintética, tendo como principal função travar a queda automaticamente e impedir a movimentação do trabalhador, sendo ideal para locais onde não é possível trabalhar com o talabarte por não ter uma zona livre de queda segura.

Um ponto importante para se atentar é com relação a sua revisão anual. Conforme determinação da ABNT NBR 14628/2010, o trava-queda retrátil deve ser enviado para revisão do fabricante por um período não superior a 12 meses. Mesmo não sofrendo uma queda ou estando danificado, se faz necessária essa revisão anual.

Trava-Quedas Deslizante: É conectado à uma linha de vida. Pode ser usado em cabo de aço ou corda nas seguintes situações:

  • Trabalho em fachada de prédios;
  • Andaimes suspensos;
  • Cadeiras suspensas;
  • Escada tipo marinheiro (com linha de vida).

Essas são as principais diferenças entre o Talabarte e o Trava-Quedas. Agora, quando você for adquirir seus equipamentos você já sabe qual deve escolher entre os dispositivos. Observe se o local tem linha de vida, se atente à zona livre de queda e demais condições do ambiente. A partir daí, faça a sua escolha de acordo com a atividade que o usuário irá exercer.

Saiba mais sobre equipamentos para trabalhos em altura e linha de vida

Gostou do texto de hoje? Não deixe de acompanhar o nosso blog para continuar informado sobre as novidades do mundo da segurança do trabalho!

Talabartes ou Trava-Quedas – Qual utilizar?