Atendimento Nacional (11) 3133.5766

7 problemas que todo técnico de segurança do trabalho enfrentará

A vida do profissional de segurança do trabalho no Brasil nunca foi simples. Hoje em dia, vemos uma valorização muito maior desse profissional como um todo, até mesmo porque uma das lições do momento em que vivemos, é como proteger a si e a sua família com EPIs e ações mais conscientes e seguras, contudo, isso não chegou em todos os lugares ainda.

A área de SMS (segurança do trabalho, meio ambiente e saúde do trabalho), em muitas empresas, ainda é tratada como uma obrigação legal, ou seja, um mal necessário. Nem precisamos falar que essa visão somente dificulta o trabalho do técnico de segurança, certo?

Além disso, esse problema fica ainda pior quando colocamos na equação a falta de profissionais qualificados que o setor de segurança enfrenta em todo o mundo.

Dessa forma, temos a receita para o desastre aqui: empresas que não valorizam a segurança do trabalho, não vêm a importância de desenvolver e manter uma cultura – verdadeira – com foco na prevenção e a falta de profissionais capacitados para auxiliar essas empresas.

E então, quais são os problemas que qualquer técnico de segurança do trabalho enfrentará?

Continue lendo este texto e descubra!

OS DESAFIOS QUE OS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO ENFRENTAM

Os desafios são inúmeros e vão desde encontrar apoio dentro das instituições, até mesmo adquirir Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva (EPIs e EPCs) de qualidade.

Bem, sem mais delongas, vamos falar sobre as 7 dificuldades mais comuns:

1# FALTA DE AUTONOMIA

Quando falamos sobre a autonomia do Técnico de Segurança, estamos falando diretamente do seu poder de agir. Isto, por sua vez, diz respeito ao que é permitido e possível dentro das atribuições de cada funcionário.

Este profissional está em uma posição estratégica e sua atuação é primordial para manter todos os funcionários seguros. Quando esse profissional não tem total autonomia para executar as suas funções, esse cenário fica comprometido.

Isso é algo bastante sério, tanto para os trabalhadores quanto para a empresa. Por um lado, o funcionário está em um ambiente de trabalho inseguro, por outro, a empresa fica vulnerável a processos civis e criminais por falha ou omissão do técnico.

2# FALTA DE VISIBILIDADE

Quando uma empresa não valoriza os profissionais de segurança, naturalmente, a visibilidade dos mesmos é baixa.

Isso implica em cargos de baixo poder hierárquico, pequena participação nas decisões (mesmo envolvendo segurança) e falta de um plano de carreira.

Tudo isso resulta em profissionais desmotivados e que não estão alinhados com a empresa, afinal, a mesma não valoriza o seu esforço.

Essa falta de suporte e visibilidade também podem ser considerados motivos para o pequeno número de profissionais na área. Sendo esse mais um dos problemas que os Técnicos precisam enfrentar no seu dia a dia.

3# FALTA DE PROFISSIONAIS

A falta de profissionais não é só um problema para a empresa, também é uma enorme dor de cabeça para os Técnicos de Segurança do Trabalho.

Isso porque, os mesmos acabam tendo que contar com colegas que não estão tão preparados assim, ou mesmo assumir todas as atividades sozinho.

Essa sobrecarga acaba transformando um trabalho que já é estressante por natureza em uma verdadeira bomba relógio para a saúde do próprio técnico.

Portanto, o volume de trabalho que esses profissionais englobam pode sim ser uma causa direta da falta de profissionais capacitados na área.

4# DEFICIÊNCIA NA FORMAÇÃO

O problema na formação dos Técnicos não está em uma formação ruim, propriamente dita, contudo, diversas instituições focam na legislação e não no dia a dia do profissional.

Isso, como você já deve imaginar, faz com que o profissional se sinta intimidado ao entrar em contato com um mundo que não está descrito nas leis.

Sendo assim, é muito importante que, durante a formação, os estudantes procurem vivenciar o máximo possível da prática da profissão.

5# FALTA DE SUPORTE À ÁREA DE SMS

Quando uma empresa não valoriza a segurança do trabalho, ela também não oferece as condições necessárias para que os técnicos realizem suas funções.

Essa falta de suporte por parte da empresa também pode levar os profissionais de segurança a sentirem-se desmotivados.

Nesses casos, o problema é em dobro: empresa que não dá importância a SMS e um profissional que não tem prazer no próprio trabalho.

6# INCOMPREENSÃO NA HORA DE COMPRAR EPIS

De nada adianta os profissionais de segurança realizem o seu trabalho com perfeição e maestria, levantando todos os riscos ambientais e identificando meios de neutralizá-los através de EPIs e EPCs, se na hora da compra, nada disso valerá a pena.

Não é tão incomum que a gestão compre os EPIs mais baratos e comprometa a segurança dos trabalhadores, por exemplo. Isso também ocasiona gastos maiores a médio e longo prazo.

7# FALTA DE FERRAMENTAS DE GESTÃO PARA CONTROLE DE EPI E TREINAMENTOS

Nem precisamos falar que uma empresa que não investe nos melhores EPIs também não irá investir em um sistema de gestão apropriado para que os Técnicos possam realizar seu trabalho de maneira mais efetiva.

Sem esses sistemas, o funcionário acaba tendo que recorrer a técnicas arcaicas de lista de assinaturas e planilhas.

COMO MUDAR ESSE CENÁRIO

Você vive um, alguns ou todos esses problemas? Abaixo você encontrará algumas dicas para mudar essa situação:

  • Cultura de fatos e dados: sempre que argumentar com um gestor sobre a implementação de alguma medida de segurança, trazer dados que comprovem a sua necessidade;
  • Enfatize os custos: não é segredo para ninguém que uma equipe de SMS bem estruturada diminui os custos das empresas a longo prazo, utilize isso a seu favor;
  • Conte com ajuda: a DANNY é uma empresa referência em segurança do trabalho e pode te ajudar, através de assessoria especializada, a selecionar os EPIs mais indicados para os riscos ambientais da sua empresa;
  • Estude sempre: o mundo da segurança do trabalho está sempre mudando e reciclar o seu conhecimento sobre os assuntos se torna necessário. Sendo assim, procure cursos sobre normas que envolvam EPIs e assuntos relacionados a SMS como o Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO).

Dá para notar que o dia a dia do Técnico em Segurança do Trabalho não é fácil, apesar disso, esse cenário está mudando e você pode ser uma parte ativa na transformação deste paradigma.

Continue acompanhando o nosso blog e esteja sempre informado sobre as novidades do mundo da SSA.

7 problemas que todo técnico de segurança do trabalho enfrentará